Fazendo a barba

A maioria dos brasileiros trata o ato de se barbear como algo simples, corriqueiro: basta espuma, lâmina para cima e para baixo e pronto. Mas é justamente aí é que está o erro. Fazer a barba não é tão simples, é praticamente uma arte.

O primeiro passo para o barbear perfeito é utilizar a água na temperatura correta, já que fazer a seco vai deixar seu rosto em vermelho vivo durante uns dois dias. A água morna abre mais os poros, deixa o pelo mais “solto” e a lâmina desliza com mais facilidade.

A lâmina deve correr na direção que a barba cresce. Se fizer o contrário, ela vai deslizar muito rápido e as chances do barbear se tornar doloroso é bem grande, além dos cortes acontecerem com mais frequência nesse modo. Quando terminar, utilize água fria para enxaguar e fechar os poros.

São várias as recomendações na hora do barbear: usar as duas mãos, uma para o barbeador e a outra esticando a pele; aprender a igualar as costeletas traçando uma linha imaginária ao invés de confiar na altura das orelhas é outra recomendação.

Quer utilizar barbeador elétrico? Até pode usar, mas ele precisa ser um aliado da lâmina, não o principal. Isso porque o barbeador elétrico não alcança um bom resultado, já que ele corta a barba, dificilmente consegue raspar.

A loção pós-barba é uma invenção do tempo em que era preciso passar álcool no rosto para evitar infecções provocadas por cortes. Quem tem pele sensível está dispensado do uso. Para estes casos é melhor aplicar produtos mais naturais, bálsamos ou loções com aloe vera depois do barbear.

E não precisa se barbear todos os dias. Faça a cada dois ou três dias, como se sentir melhor. Sua pele com certeza ficará menos irritada.

Converse com seu médico! A Suprema tem um espaço próprio voltado para nas necessidades da pele dos homens.

 

Imagem: https://bemdesaude.com

Leave a Comment